Pergunta de Campinas: Quais os problemas bucais mais frequentes em grávidas?

Se a vontade de comer doce aumenta tanto quanto a barriga, calma lá… As grávidas devem redobrar seus cuidados para manterem a saúde bucal sem prejudicar o bebê

Durante a gravidez o corpo precisa de cuidados dobrados. Acompanhamento médico, nutricionistas, preparador físico e, acredite, cuidados com a higiene bucal. Pesquisas recentes indicam que a periodontite (a famosa inflamação na gengiva) pode ser a causa de nascimentos prematuros e bebês abaixo do peso.

A gravidez pode causar  flutuações hormonais que aumentam o risco de gengivite. Os níveis hormonais que se alteram no seu corpo podem tornar sua gengiva mais sensível à prejudicial placa; um filme viscoso e incolor de bactérias que se forma constantemente sobre os dentes.

A culpa também é da vontade repentina de comer doces e alimentos fora de hora. Até o famoso enjoo de grávidas afeta o cuidado com a saúde bucal. “As alterações também acontecem nos hábitos de higiene e alimentares da mãe, que passa a ingerir alimentos nem sempre muito saudáveis em um espaço de tempo menor. E acaba por negligenciar também a rotina de higiene bucal pelo próprio desconforto físico e reações reflexas à escovação e aos cremes dentais que, por muitas vezes, provocam ânsias”.

Prevenir é o melhor remédio

Logo que você descobrir que está grávida ou que planeja se tornar mamãe, é legal informar o seu dentista. Alguns tratamentos podem ser adiados até o nascimento do bebê e outros, como o raio X, precisam ser evitados. É importante informar sobre outros medicamentos que esteja tomando e se seu médico lhe deu algum conselho específico, já que isso pode afetar o tratamento dado.

E se aparecer uma cárie?

– A gestante pode receber tratamento em qualquer época, de preferência no 2º trimestre da gestação, quando o feto está com a saúde mais estável;
– Radiografias devem ser evitadas, se possível, nos 3 primeiros meses, cabendo apenas em situações de extrema necessidade;

– O dentista e o médico devem atuar em conjunto, para determinar, por exemplo, que tipo de medicação e de anestésico é o mais indicado em cada caso;

2 Respostas

  1. Olá Dr. primeira gostaria de parabenizar o seu grandioso trabalho.
    Minha pergunta è sobre à minha filha que no dia 06/10/12 completou 1 ano, porém à mesma não tem um dentinho na boca è já estou ficando preocupada. Como devo preceder? Em pesquisas, diz ser normal e sairão mais fortes, mas coração de mãe não aguenta. Desde já obrigado è deixo o meu e-mail para à mais rápida resposta. c.rafaela.carvalho@bol.com.br

    • Ola Carla,
      apesar de Odontopediatria não ser minha especialidade, é normal as vezes atrasar o nascimento dos primeiros dentinhos de uma criança de 1 ano, fique em obersavação, caso depois de algum tempo esse dentinhos não erupcionarem entre em contato com um Odontopediatra e agende uma avaliação!!
      Um grande abraço!
      Dr Gustavo Camargo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: